Sustentabilidade, tecnologia, sucessão, governança e organização: os passos para a gestão da fazenda moderna

27/10/2023

Sustentabilidade, tecnologia, sucessão, governança e organização: os passos para a gestão da fazenda moderna

O painel “Gestão da Fazenda Moderna”, promovido no segundo dia do CNMA 2023, foi moderado pelo superintendente Executivo da Fundação Shunji Nishimura de Tecnologia, Elvis Fusco, com apresentações da gerente de Marketing e Comunicação New Holland Agriculture, Carolina Brandão; da gerente de Desenvolvimento de Produtos da Indigo, Ellen Barrocas; da Partner na ESG Tech, Jennifer Zuliani; e da CFO da Coopercitrus, Simonia Sabadin. 

Fosco destacou que o tema tem grande importância para o agronegócio brasileiro. “Neste cenário, o moderno é simbolizado pelas demandas, desafios e dores da fazenda, independente do seu tamanho. Este painel visou trazer contribuições para a agricultura brasileira e, principalmente, os produtores”. 

A importância da sustentabilidade com uma gestão eficiente foi abordada pela gerente de Desenvolvimento de Produtos da Indigo, Ellen Barrocas. “O Brasil é referência no tema, mesmo assim, é preciso sempre se atualizar. As ferramentas digitais que temos hoje permitem que tenhamos soluções para diferentes desafios, como os bioinsumos que na agricultura representam uma ferramenta de gestão consciente”. 

O cenário atual indica que o Brasil será uma referência mundial em bioinsumos até 2030 e, por mais que seja uma ferramenta antiga com nova roupagem, nas fazendas os produtores já estão tendo resultados. “O Brasil tem muito para agregar e se tornar referência mundial em sustentabilidade, no entanto, será preciso reconstruir o que foi deixado de lado por tanto tempo”, complementou Ellen Barrocas. 

Trazendo um olhar mais tecnificado, a gerente de Marketing e Comunicação da New Holland Agriculture, Carolina Brandão, disse: “Entendemos a nossa responsabilidade (New Holland) e o compromisso como grande indústria do agro de ajudar os agricultores a desempenhar sua atividade de forma mais saudável. Por isso, estamos constantemente desenvolvendo soluções com menor impacto ambiental, como o nosso trator movido 100% com gás biometano, proveniente da própria fazenda”. 

De acordo com Carolina, a empresa atende produtores de todos os níveis, com tecnologias especificas para suas necessidades e promovendo o acesso a diferentes ferramentas que auxiliam na construção de um agro com uma produção cada dia mais sustentável. “Atualmente estamos trabalhando com máquinas movidas a combustíveis alternativos de uma forma incisiva para atender a todos os clientes”. 

Governança e sucessão familiar foi o tema da palestra da Partner na ESG Tech, Jennifer Zuliani. “Muitas empresas trabalham sucessão como um pilar de desenvolvimento de pessoas, esse é um tema que ainda remete a fim/término, mas, na verdade, é uma continuidade. Por isso, a sucessão precisa ser iniciada quando o atual líder está no seu auge. Dessa forma, o herdeiro começa a sucessão de forma profissional, tranquila e com tempo para que o processo seja um sucesso”. 

Quando se fala em governança é importante analisar o tamanho da propriedade e seus dados. “É primordial que a fazenda tenha um sistema de informações organizado. Oriento para que estruturem os seus negócios e comunique de forma transparente para que esse processo seja estruturado aos poucos”, frisou Jennifer. 

A CFO da Coopercitrus, Simonia Sabadin, afirmou que as propriedades vêm buscando uma maior produtividade com menor custo. “Estamos conseguindo atender essa demanda – produção x custo – e levando soluções para as propriedades. Nosso papel é fomentar mais produtividade, fazendo com que pequenos e médios produtores tenham acesso à tecnologia de ponta desde o início da produção. Ao longo dos anos estamos conseguindo ajudá-los. Temos muita tecnologia para isso, sendo possível ter uma fazenda moderna e eficiente, mesmo sem acesso a conectividade”. 

Ainda, segundo Simonia, para se ter uma fazenda moderna é preciso começar do ponto zero. “Ou seja, conhecer o seu solo, ter amostragens e equipamentos corretos. É fundamental ter um mapeamento da propriedade antes de tudo”.